O Governador do Piauí deve ser o terceiro a prestar depoimento. Antes dele, devem falar à CPI os governadores do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e do Pará, Helder Barbalho (MDB). Em julho, devem prestar depoimento os governadores do Distrito Federal, Tocantins, Santa Catarina, Roraima e Amapá

O governador  Wellington Dias (PT) deve prestar depoimento à CPI da Covid-19 no próximo dia 30 de junho. A informação foi divulgada na manhã desta terça-feira (08), pelo presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD – AM),  que  anunciou o calendário dos depoimentos dos governadores convocados a prestar esclarecimentos ao colegiado que apura supostas irregularidades cometidas por gestores públicos durante a pandemia. 

Além de presidir o Consórcio de Governadores da região Nordeste, Wellington Dias (PT) coordena a temática vacinação no Fórum de Governadores do Brasil, sendo um dos responsáveis pela articulação junto ao governo federal e autoridades estrangeiras durante as negociações para a chegada dos imunizantes ao país.  

O Governador do Piauí deve ser o terceiro a prestar depoimento. Antes dele, devem falar à CPI os governadores do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e do Pará, Helder Barbalho (MDB). Em julho, devem prestar depoimento os governadores do Distrito Federal, Tocantins, Santa Catarina, Roraima e Amapá.

Confira abaixo o cronograma divulgado: 

  • 10/06: Wilson Lima – Amazonas
  • 29/06: Helder Barbalho – Pará
  • 30/06: Wellington Dias – Piauí
  • 01/07: Ibaneis Rocha – Distrito Federal
  • 02/07: Mauro Carlesse – Tocantins
  • 06/07: Carlos Moisés – Santa Catarina
  • 07/07: Antônio Garcia – Roraima
  • 08/07: Waldez Góes – Amapá

Apesar de ter divulgado o calendário, a CPI da Covid ainda aguarda um posicionamento do Supremo Tribunal Federal(STF) que pode barrar o depoimento dos chefes dos executivos estaduais. 

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, presta hoje seu segundo depoimento à CPI da Covid no Senado.

No centro dos questionamentos está a falta de autonomia de Queiroga em meio à atuação de um gabinete paralelo de assessoramento do presidente Jair Bolsonaro nas questões relativas à pandemia.

Fonte:cidadeverde.com