Em visita à Câmara, o prefeito Firmino Filho (PSDB) fez a leitura da tradicional mensagem de abertura do Ano Legislativo Municipal de Teresina, nesta terça-feira(04). Firmino fez uma contextualização entre os quatro mandatos como prefeito e diz que saúde poderia ter melhores resultados como a educação.

Ele falou à base aliada sobre continuar o modelo de gestão tucano. Sem se referir diretamente à sucessão estadual, Firmino defendeu a continuidade do grupo tucano na Prefeitura. Veja mensagem na íntegra

“Nesse ano de 2020 teremos nosso último ano à frente da Prefeitura. Iniciamos nossa despedida. Momento de relembrar a caminhada política e administrativa. Cheguei na Prefeitura a convite de um professor de História, com ele aprendi lições da gestão pública e a paixão e compromisso por Teresina. Tivemos na sequência, a missão de representar esse grupo político em 1996. Aquela eleição foi atípica. Junto com nossos companheiros, servidores, lideranças, construímos uma bela caminhada. Ao longo do tempo o povo de Teresina reafirmou a confiança na nossa forma de fazer gestão. Buscamos continuar o modelo e fazer inovações. Fizemos programas como Vila Bairro, Morar Melhor, Prefeito Criança, entre outros. Em 2012, a cidade mais uma vez nos deu um voto de confiança. E em 2016, mais uma vez recebemos o voto de Teresina. Nossa absoluta gratidão pela generosidade e bondade do povo de Teresina. Essa dívida que temos com Teresina é impagável. Em cada momento das nossas gestões, buscamos honrar essa dívida. Buscamos acordar cedo e trabalhar. Em cada setor da cidade buscamos deixar testemunho de trabalho e solidariedade. Buscamos continuar esse modelo de gestão que trabalha com conhecimento técnico e respeitando as pessoas. 2020 é de despedida, mas também de gratidão. Vamos prestar conta do que foi feito. Aqui falamos do que foi feito, em 2019, o que vai ser feito em 2020, e do que vamos deixar para 2021 e 2022”, destacou Firmino Filho.

O prefeito apresentou o desempenho da gestão em áreas como a saúde. Segundo ele, 60% dos atendimentos são de pacientes de outras cidades.

“Na saúde passamos pelo maior volume de investimentos. Construímos UBSs, hospitais e UPAS. A prefeitura tem 90 UBSs. Durante nosso mandato, 80 foram construídas do zero ou reformadas. Temos algumas construídas que não foram inauguradas ainda. Tivemos conclusão de UPAS. Reformamos a sede do Samu e os hospitais. É importante que possamos compreender o que ocorre com a saúde de Teresina. Em Teresina, 60% dos atendimentos são de outros municípios. Esse crescimento da rede não tem paralelo com nenhuma capital do Brasil. Esse crescimento teve consequências na nossa despesa. Nesse gráfico podemos perceber o compromisso com a saúde. Municípios devem gastar 15% da receita com saúde, no caso de Teresina, esses gastos chegam a 34,7%. Não existe nenhuma outra capital que tenha rede extensa e compromisso com a saúde. Isso é fundamental para o presente e futuro”, disse.

Firmino afirma que se Teresina não precisasse atender pacientes do estado, a saúde da capital teria bons resultados como a educação.

“Teresina passou a sofrer de seleção adversa. O Hospital que funciona não é o vazio, mas o cheio. Passamos a atrair pacientes de outros municípios. Da falta de crescimento desse serviço, passamos a arcar com a grande parte da saúde do Piauí. Não só na urgência e emergência. Entra também cirurgias, média e alta complexidade. Se usássemos só para Teresina, teríamos os mesmos resultados da educação. Teresina perde porque grandes recursos vão para a saúde. Seriam recursos para obras, galerias, reajuste do servidor, são dispendidas para atender pacientes do estado”, disse.

Na área da educação, o prefeito elegeu dois desafios para o final da gestão. O primeiro é construir mais creches e o segundo é construir mais escolas de tempo integral.

“Tivemos as construções de creches. Isso atende nossa necessidade de investimentos na estrutura. Temos o desafio de universalizar o ensino infantil. Temos uma rede extensão. No total temos 310 unidades de educação. São quase 90 mil crianças. Nosso desafio em crescimento e oferta é com a creche. No ensino fundamental preciso construir escolas já estruturadas para o tempo integral. Vamos inaugurar creches e buscamos recursos do governo federal e recursos de bancos internacionais. Essas escolas terão padrão completo. Nosso desafio são as creches e escolas de tempo integral”, afirmou.

Fonte:cidadeverde.com