As secretárias de Estado da Cultura, Bid Lima; do Meio Ambiente, Sadia Castro; do Turismo, Karina Thomas; deputados estaduais e federais, estudantes, arqueólogos e comunidade que vive no entorno do Parque Nacional da Serra da Capivara assistiram à estreia do filme “Niède”, nessa quarta-feira (05), no anfiteatro da Pedra Furada, no município de Coronel José Dias.

O documentário foi exibido pelo Cinesolar, projeto de cinema sustentável com uso de energia solar. O filme conta a trajetória da arqueóloga Niède Guidon e as pesquisas realizadas por ela na região que permitiram o desenvolvimento da teoria de que o homem veio para a América a partir da África, pelo oceano Atlântico, além de diversos achados arqueológicos que datam de mais de 100 mil anos. Essas descobertas levaram à criação do Parque Nacional da Serra da Capivara, hoje considerado um dos mais importantes sítios arqueológicos do mundo.

Para a secretária da Cultura, o filme tem uma grande importância científica e cultural para o estado. “O lançamento do filme da Niède é de suma importância, pois mostra todo esse trabalho de descobertas em nosso território que mudaram a nossa história e a da humanidade e eu estou muito feliz em estar participando desse lançamento aqui, hoje”, disse Bid Lima.

A exibição faz parte da programação das comemorações dos 40 anos do Parque Nacional da Serra da Capivara. Durante a comemoração, foram entregues comendas da Serra da Capivara em homenagem ao audiovisual para diversos jornalistas e colaboradores que, de alguma forma, divulgaram e fizeram o parque ser conhecido fora e dentro do país.

A prefeita de São Raimundo Nonato, Carmelita Castro, assistiu à estreia e falou da importância do filme. “Para nós, é um momento de festa e muita alegria. Eu costumo dizer que existe a São Raimundo Nonato antes e depois de Niède Guidon. Nós devemos muito a ela por essa garra, determinação e coragem que teve em manter esse parque por 40 anos, é muito interessante ver todo essa história agora no filme”, destacou a gestora.

O diretor do filme, Tiago Tambelli, definiu a estreia como um momento especial e a sensação de dever cumprido. “Esse é um momento muito especial, devolver ao público e, principalmente, à personagem principal, a Niède, um filme realizado é um momento de celebração, o momento que todo cineasta espera. Eu vou levar daqui essa experiência de trabalho maravilhosa e essa magnífica história que mostra principalmente o elo entre a ciência e a sabedoria popular”, comletou o cineasta.

Autoria: Marina Ribeiro