Os gestores da Gerência Regional de Educação e coordenadores de ensino discutiram na manhã desta sexta-feira (22), via mediação Tecnológica (Canal Educação), a Pactuação de Metas e Plano de Ação 2019 e, assim, melhorar o Ensino Fundamental, anos iniciais e anos finais nas escolas atendidas pela Seduc. A ação contou com apoio do núcleo de acompanhamento pedagógico da Unidade de Ensino e Aprendizagem. A iniciativa teve o objetivo de apresentar a situação atual da rede e os desafios para o alcance das metas, elaborar ações, através de orientações e encaminhamentos para escolas. Dentre os temas discutidos estavam: Projeções de Metas, Alinhamento de Estratégias para Execução da Oficina de Pactuação de Metas e Elaboração do Plano de Ação.

Na oportunidade, o diretor da Unidade de Ensino e Aprendizagem da Seduc, Ellen Gera, ressaltou importância destes profissionais no elo de planejamento de ações entre SEDUC e escolas para atingir a meta do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB, indicador colocado para avaliar o desenvolvimento da Educação Básica no Brasil. “O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) é um indicador colocado para as redes de ensino para avaliar o desenvolvimento da Educação Básica no Brasil, trabalhamos olhando para ele no que diz respeito à aprendizagem dos estudantes, observando os indicadores de aprovação ,  abandono, reprovação e as proficiências de português e matemática. Não podemos ter nenhuma dúvida quanto ao IDEB, para que possamos trabalhar as ações de forma correta para que consigamos chegar nas metas propostas”, declara Ellen.  

 De acordo com o superintendente, em 2017 a rede obteve 5.5 nos anos iniciais, já alcançando a meta de 2021, e tem como meta 6,0 para 2019. Para os anos finais a meta é alcançar o índice 4.4 para 2019.  “A expectativa é que até abril as equipes tenham as ações de execução, portanto, precisamos fazer uma boa análise de diagnóstico da rede para que possamos projetar as ações corretas e seguir avançando cada vez mais no desenvolvimento de nossa educação”, afirma Ellen.

Autoria: Ascom Seduc